Blog
Acompanhe o lançamento de novas APIs, novos showcases e parcerias.

Sistemas de Inteligência Artificial são úteis para tarefas rotineiras

Que tal "contratar" um robô capaz de economizar 360 mil horas de trabalho em um ano?

Em linhas gerais, podemos dizer que Inteligência Artificial é um dos mais complexos campos de estudos da Ciência da Computação. Mas para simplificar: considere que, por métodos envolvendo reconhecimento de padrões, aprendizagem de máquina, processamento natural de linguagem, entre outras técnicas possíveis, máquinas são capazes de produzir algoritmos para resolver problemas, desde que haja um conjunto relativamente estruturado de dados e, evidentemente, a formalização correta dos resultados esperados. Normalmente, estes métodos são repetitivos e perpétuos - exigindo as chamadas redes neurais.

Quer deixar este conceito ainda mais simples e valorizar sua importância? Agentes inteligentes baseados em inteligência artificial podem automatizar tarefas rotineiras que ocupam boa parte de seu dia, abrindo espaço na agenda para projetos que realmente importam. Quer um exemplo?

Pense no trabalho envolvendo leitura, interpretação e revisão de contratos de empréstimo comercial. Quantas horas são dedicadas por equipes da área legal em uma atividade cansativa e sujeita a erros? Um dos maiores bancos de investimentos do mundo, o JPMorgan Chase é o responsável pelo software COIN - acrônimo para "Contract Intelligence", um sistema de inteligência artificial rodando em uma rede de nuvem privada desde junho de 2016.

Quanto custam 360 mil horas?

Denominada Gaia, a rede privada em nuvem do JPMorgan Chase é resultado de uma parte do investimento em tecnologia da empresa. Foram US$ 9.6 bilhões, ou 16% de todas as despesas do banco em 2016. Apenas como um comparativo, a Goldman Sachs, outro gigante financeiro, reportou despesas de US$ 809 milhões em tecnologia e comunicação no mesmo período.

E quanto ao COIN? Capaz de analisar documentos em segundos, o sistema é menos propenso a erros. Estima-se que 12 mil novos contratos eram corrigidos anualmente, devido a falhas humanas. Com o COIN, o banco anunciou economia de 360 mil horas de trabalho por ano com advogados e oficiais de crédito - todos, segundo a empresa, remanejados para projetos de valor mais alto.

Espera-se que o software ainda “aprenda” a lidar com outros tipos de documentos complexos, como certificados de depósito ou acordos de custódia. Mais do que isso, sistemas de inteligência artificial, dedicados a automação de tarefas rotineiras explorando o potencial do big data, representam ainda 20 mil desenvolvedores do JP Morgan Chase envolvidos em projetos para redução de despesas e riscos, bem como novas fontes de receita.

Mas o que é uma tarefa rotineira?

Antes de comparar a leitura e revisão de contratos com qualquer atividade que possa ser realizada por computadores, talvez caiba citar um estudo realizado pelo Future of Humanity Institute ("Instituto pelo Futuro da Humanidade", em tradução livre), da Universidade de Oxford. A partir das pesquisas realizadas por pouco mais de 1.600 cientistas, acredita-se que, em sete anos sistemas de inteligência artificial serão capazes de superar o homem na tradução de textos. Ou dez anos para conduzir caminhões sem a necessidade de motorista. E que tal esperar por 45 anos para ver um robô realizar uma cirurgia?

Parece ficção? Pois os mesmos pesquisadores imaginavam que um sistema computacional superaria o homem em uma partida do tradicional jogo de tabuleiro Go em 2027. Pois o AlphaGo, da Google DeepMind, já fez isso em março de 2016 - o que sugere uma postura conservadora dos pesquisadores. Definitivamente, iniciativas como o COIN são apenas o começo.


Time Original Developers.

Permalink: https://developers.original.com.br/blog/sistemas-inteligencia-artificial-sao-uteis-para-tarefas-rotineiras